Rádio Som de Deus



Lançado em: 17-04-2019

Eis que tudo se faz novo!

Meus queridos irmãos e irmãs, celebramos hoje o domingo da Ressurreição de Jesus, o domingo de Páscoa. Durante toda a Quaresma, fomos catequizados, exortados e preparados para viver esse dia.

Há quem pense que o ápice do Tríduo Pascal (Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor) é a Sexta-feira Santa, a Paixão e Morte de Jesus. Esse pensamento é atestado pela grande participação que os fieis (católicos ou não) têm nessa celebração, em comparação aos outros dias celebrativos da Semana Santa.

A fé que professamos nos lembra que Jesus, de fato, morreu na cruz pagando o preço dos nossos pecados, mas sobretudo, por amor a cada um de nós. Ela, a fé, professa também que a morte não foi capaz de pôr um ponto final na vida de Jesus, pelo contrário, ela, a morte, foi vencida (Onde está, ó morte, a tua vitória? [1Cor 15,19]) com a Ressureição de Jesus.

Na primeira leitura, extraída do livro dos Atos dos Apóstolos (At 10,34a.37-43), Pedro toma a palavra e exorta a toda a comunidade a respeito da vida e dos atos de Jesus. Ele convoca a todos para anunciarem a ressurreição do Senhor. Deus ressuscitou Jesus. Esta é a base de nossa fé e esperança! Jesus vive e Deus o estabeleceu juiz dos vivos e dos mortos. O juiz também é salvador: quem nele crê, é absolvido e recebe a vida.

Na segunda leitura, extraída da carta de são Paulo aos Colossenses (Cl 3,1-4), Paulo diz à comunidade a necessidade de viver junto ao Ressuscitado. O que somos feitos pelo batismo também o devemos ser em nossa vida. Mas o batismo ultrapassa nossa existência no mundo, antecipa a vida sem morte, escondida em Deus, com o Cristo ressuscitado.

No evangelho, extraído do evangelista João (Jo 20,1-9), Pedro e o discípulo amado vão ao sepulcro. Pedro tem a precedência, embora o outro discípulo, impulsionado pelo amor, tenha corrido mais rápido. Pedro entra primeiro e vê. O outro vem depois, vê e crê! O testemunho pascal inclui dois elementos: o sepulcro vazio e as aparições do ressuscitado. O sepulcro vazio é um sinal. Ao ver o sepulcro vazio, só acredita na Ressurreição quem ama e tem o coração junto ao Senhor. O amor é que faz reconhecer nos sinais da ausência (as faixas e o sudário) a presença, transformada e gloriosa, do Cristo.

Nessa celebração do domingo de Páscoa, quando é celebrada a partir da tarde, faz-se a proclamação de outro evangelho, o de Lucas, (Lc 24,13-35), onde é narrada a aparição de Jesus, junto aos discípulos de Emaús. A ressurreição não era o que os discípulos esperavam, porém o desejo de ver seu Senhor, a auscultação/oitiva/escuta do que dizem as Escrituras e a disposição de acolher o companheiro da caminhada fazem com que o ressuscitado se manifeste aos discípulos de Emaús, ao partir o pão, gesto por excelência da comunhão cristã.

A Liturgia da Palavra de hoje nos fala da ressurreição de Jesus e nos exorta ao testemunho e à vida nova no Cristo Ressuscitado. No mundo atual onde os sinais de esperança estão, a cada dia desaparecendo, nós, como testemunhas do Ressuscitado, não podemos nos ocultar ou fingir que não é conosco. Precisamos testemunhar que ainda há esperança e essa é Jesus [primeira leitura]. Se cremos que, de fato, Jesus ressuscitou, não podemos viver como se estivéssemos com os pés presos na Quaresma, pelo contrário, devemos nos esforçar para alcançar as coisas do alto, estar junto de Cristo, pois n’Ele somos novas criaturas. Por fim, não podemos deixar que o amor por Jesus esmoreça ou até mesmo desapareça. As dificuldades sempre encontraremos, mas Cristo é a nossa força e esperança. O amor que temos por Ele faz com que, ao vivenciarmos a escuridão, o medo e os sepulcros das nossas vidas sejam transformados pela força da presença do Ressuscitado.

Peçamos a graça a Deus que, pelo seu Filho Unigênito, vencedor da morte, sejam abertas para nós as portas da eternidade. Concedei que, celebrando a ressurreição do Senhor, renovados pelo vosso Espírito, ressuscitemos na luz da vida nova, pois a Ressurreição do Senhor é o dia feito para nós: “alegremo-nos e nele exultemos” [salmo responsorial].

Autoria: seminarista Ícaro Marcos Soledade Oliveira
Revisão ortográfica: Nelmira Moreira




5 Últimos Lançamentos

Ama teu próximo como a ti mesmo! - 13-07-2019


As colunas da Igreja: São Pedro e São Paulo - 28-06-2019


VIDA É MISSÃO! - 21-06-2019


A Trindade Santa - 14-06-2019


​​​​​​​Alegrai-vos! Desce sobre vós o Paráclito! - 08-06-2019


Rádio Som de Deus
O momento foi conduzido pelo Diácono Alan, um grande homem de Deus.
Copyright © 2016 - Rádio Som de Deus
Todos os direitos reservados